A Importância da Cultura na Tradução

A tradução desempenha um papel muito importante quando se trata de compreender a cultura. Por exemplo, se um serviço de tradução no Japão trabalha em um documento comercial para um cliente do Brasil, o tom, as expressões e o idioma têm que estar de acordo com a cultura comercial do Brasil. É aqui que entra a importância da cultura dentro da tradução. Mas, primeiro, vamos definir o que é cultura, o que é tradução e o que é linguagem e entender um pouco mais como tudo isso está relacionado.

Cultura:

Como podemos definir cultura? A cultura reflete a maneira pela qual as pessoas se comportam. É um padrão no qual analisamos comportamento, hábitos sociais, crenças, tradições e costumes. Quando estamos tentando saber mais sobre uma determinada cultura, a língua desempenha um papel importante e para compreender melhor a língua a tradução pode ser um caminho de estudo.

Linguagem:

A linguagem é o laço que mantém o significado cultural atado. A linguagem também pode ser classificada como o complexo sistema de comunicação que os seres humanos adaptam em diferentes contextos culturais. Ela contribui de maneira significativa para o sistema de comunicação em qualquer cultura.

Tradução:

É o processo de conversão que ajuda as pessoas que falam idiomas diferentes a entenderem a perspectiva umas das outras e a manterem uma comunicação saudável. Trata-se de conectar culturas e quebrar as diferenças culturais que possam existir. A importância da cultura na tradução é que possibilita uma comunicação efetiva entre ambas as partes.

Ao ler as três definições acima, fica bastante evidente que a cultura e a tradução estão relacionadas. Essa relação ajuda a preencher as lacunas que diferentes idiomas podem criar. Lembrando que temos várias nações e, dentro de uma nação, por exemplo, também há muitos idiomas que são falados. A tradução tem sido um elemento de intercâmbio cultural fundamental.

O respeito à cultura na tradução

Uma boa tradução dá ao leitor a mesma sensação que ele pode ter ao ler um determinado texto em sua língua nativa. A importância da tradução que respeita a cultura é que ela ajuda a comunicar as crenças e ideias de uma maneira adequada, que poderia ser compreendida por pessoas de diferentes origens literárias e culturais.

A negligência desse ponto pode causar diversos problemas e desrespeitar todo um povo, pois, em alguns casos, as diferenças culturais são enormes e o que é comum em uma cultura pode ser ofensivo em outra. Podemos citar como exemplo a grande diferença que temos nas vestimentas entre a cultura brasileira e a cultura muçulmana.  

A tradução e a influência que a cultura exerce

Não se pode ignorar a influência que a cultura tem no idioma e na tradução. O conhecimento de outra cultura facilita a tradução realizada por um tradutor e mantém a exatidão em destaque. O objetivo da tradução é alcançar uma equivalência semântica e isso só pode ser alcançado com um bom conhecimento do idioma-alvo e dos contextos culturais do idioma de origem.

Os tabus que considerados profundos em uma cultura podem ser completamente neutros em outra. A tradução deve ser sensível às associações de valores das palavras e símbolos no idioma para encontrar suas equivalências. A dimensão dos valores é onde ocorre algumas das piores confusões de tradução. 

Por exemplo, quando o Presidente Carter foi à Polônia em 1977, o Departamento Federal contratou um intérprete russo que não estava acostumado a traduzir para o polonês. Por meio desse intérprete, Carter acabou dizendo coisas em polonês, como “deixei os Estados Unidos para nunca mais voltar”, sendo que o que ele disse, na verdade, foi “deixei os Estados Unidos esta manhã”. E um caso ainda mais grave foi: “eu desejo os poloneses carnalmente” traduzido super errado, pois o Presidente só queria saber os desejos dos poloneses para o futuro. Os erros se tornaram o evento da mídia para o constrangimento de Jimmy Carter.

Outro exemplo se deu quando Nikita Khrushchev, líder soviético, disse a embaixadores ocidentais em Moscou a famosa frase: “nós vamos enterrá-los”. Foi uma má tradução, culturalmente insensível, que originalmente queria dizer “nós vamos superá-los”, no sentido de que o Comunismo iria sobreviver ao Capitalismo. Porém, a má tradução foi amplamente interpretada como uma ameaça de ataque que atingiu em cheio os anticomunistas e deixou os americanos com medo de um ataque nuclear. A frase repercutiu nos jornais e revistas do mundo todo e trouxe ainda mais problemas para as relações já conturbadas entre a União Soviética e os países do Ocidente.  

Há muitos outros exemplos que apontam para a necessidade da sensibilidade cultural na tradução.

Por isso, é muito importante conhecer as disparidades culturais para poder ajudar uma pessoa a entender outro idioma. O fato de que a cultura e a tradução compartilham um forte vínculo é inevitável. É, por isso, que a contratação de serviços profissionais de tradução se torna uma questão crucial. 

Texto escrito por: Renata Pinheiro

A responsabilidade da tradução para legendas

Tenho certeza de que, se você tem um pouco de conhecimento em inglês, já se pegou assistindo um filme legendado e ouvindo palavras que não eram exatamente o que estavam na tradução da legenda.

Quem trabalha com legendas sabe que existem inúmeras regras e padrões que não permitem fazer uma tradução literal de tudo que está sendo dito, pois é preciso utilizar o espaço e o tempo delimitados para a legenda. De acordo com diversos estudos, a média de tempo para uma leitura confortável que permita acompanhar o vídeo foi determinada em aproximadamente 20 caracteres por segundo e cerca de 6 a 8 segundos em tela.

Justamente por isso, os legendadores recorrem às adaptações das falas, tendo em vista a diminuição dos caracteres e a compreensão do público final. Dessa forma, há uma certa liberdade para captar o sentido da frase e reescrevê-la, principalmente quando se trata de expressões que fazem sentido em uma língua, mas não fazem sentido ou não é tão comum em outra.

No entanto, o tradutor não pode mudar as falas e distorcer o que está sendo dito. Esses erros vão desde casos mais leves que, apesar de confundirem o espectador, não chegam a comprometer tanto, até a casos mais complexos que impendem a total compreensão da mensagem expressa.

No filme “Do que as mulheres gostam”, o protagonista, interpretado pelo ator americano Mel Gibson, assiste a um jogo de basquete na TV e, quando um dos jogadores vai fazer um arremesso, o personagem diz: “Miss!Miss!Miss!”. A legenda correspondente em português exibida foi: “Moça! Moça! Moça!”, mas o correto seria: “Erra, erra, erra!”, pois o personagem estava torcendo para o jogador errar o arremesso. Outro exemplo é no filme “A cor do dinheiro”, no qual o personagem principal é demitido pelo chefe com a frase tradicional: “You are fired”, que foi traduzida para: “Você está pegando fogo”, perdendo totalmente o sentido e comprometendo o entendimento do telespectador.

Recentemente, houve uma grande polêmica em relação às legendas da série Round 6, da Netflix. Diversas pessoas que sabiam coreano reclamaram que a legenda em inglês estava com inúmeros erros de tradução que, inclusive, distorciam o sentido da fala das personagens e a mensagem da série sobre a questão da desigualdade social.

Um exemplo, de acordo com Youngmi Mayer, que é fluente em coreano, é a cena em que Han Mi-nyeo (Kim Joo-Ryoung) diz em coreano “sou muito inteligente, apenas nunca tive a chance de estudar”, mas a tradução ficou como “não sou uma gênia, mas posso achar uma solução”. O problema dessa tradução é que a fala original inclui uma grave crítica social apontada pela personagem, que expõe uma situação complicada em seu país sobre a falta de oportunidade das classes sociais mais baixas. Já a tradução faz parecer que a personagem simplesmente considera que tem baixa capacidade intelectual, perdendo totalmente a crítica feita pelos produtores.

Além disso, tudo pode se agravar ainda mais, pois, normalmente, em casos de a produção ser feita em um idioma pouco comum, como o coreano neste exemplo, todos os demais tradutores se baseiam na tradução em inglês para fazer as legendas para os demais idiomas, comprometendo ainda mais o sentido original, pois a tradução não é feita diretamente do idioma original, mas sim, de um segundo idioma

Outro exemplo de Round 6 é no episódio em que Il-nam (Oh Young-soo) se refere a Gi-hun (Lee Jung-jae) como seu “gganbu”. Em coreano, “gganbu” significa uma amizade de grande confiança. Na versão original, Il-nam afirma que entre ele e Gi-hon não há qualquer propriedade, ou seja, o que é de um também é do outro. Porém, na legenda da série, isso é explicado como se os dois compartilhassem tudo. A diferença, apesar de sutil, não traz muita clareza à verdadeira definição da palavra em questão, o que pode atrapalhar na compreensão do desfecho do episódio.

Para que isso não aconteça, é imprescindível entender a responsabilidade de fazer uma legenda bem-feita, captando a mensagem que o filme/série quer passar. O trabalho do tradutor não é apenas traduzir o idioma, mas também fazer pesquisas, observar atentamente o que se passa na cena, analisar o contexto e a cultura em que o filme/série está inserido e, dessa forma, passar a mensagem de maneira fluente e sem distorcer o sentido.

Fonte: https://www.adorocinema.com/noticias/series/noticia-160822/
https://universotraducoes.com/erros-de-legendagem-em-grandes-seriados/
https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/26207/4/An%c3%a1liseErrosLegenda.pdf

Artigo escrito por Ana Lígia Wuo (Tradutora e Revisora na Spell Traduções)