Dia do Revisor

Hoje, dia 28 de março, é celebrado o Dia do Revisor. Uma profissão essencial para todo e qualquer canal de comunicação, o trabalho do revisor consiste em fazer alterações e correções, bem como aprimorar a qualidade do texto para que ele possa ser publicado sem erros e focando em atingir o seu público-alvo

Se uma empresa trabalha com textos, independentemente da área em que atua (seja para produção de conteúdo de sites ou blogs; para publicação de materiais, livros, revistas, jornais etc.; ou empresas de tradução que precisam devolver os trabalhos com uma excelente qualidade final para os clientes), o processo de revisão é extremamente fundamental. O revisor fornece uma segunda opinião e/ou um olhar mais refinado para melhorar o texto.

Por isso, para comemorarmos o dia que homenageia essa profissão tão indispensável, vamos explicar os tipos de tarefas que um revisor pode ter, dependendo da empresa em que trabalha.

Revisão para textos de tradução

O trabalho do revisor em uma empresa de tradução é, talvez, um dos mais importantes se comparado a outras áreas de atuação que usam serviços de revisão. Isso acontece porque o tradutor, por estar muito envolvido na tradução do documento, pode não só cometer erros gramaticais ou ortográficos, mas, principalmente, de fluência. Além disso, também é muito comum encontrar erros de tradução, o que pode ocorrer ao traduzir expressões idiomáticas de um país desconhecido pelo tradutor ou em casos de termos técnicos mais específicos. Por isso, o revisor precisa ter um vasto conhecimento tanto da língua portuguesa quanto do idioma em que o texto foi ou será traduzido.

Conteúdo para a web

A pessoa responsável por revisar um texto que será publicado em um site ou blog tem uma tarefa que vai um pouco além da correção de erros gramaticais, ortográficos ou de fluência. Algumas de suas maiores responsabilidades incluem: verificar se o conteúdo a ser publicado tem um material rico suficiente para atrair leitores; fazer a adequação desse material para que esteja alinhado com a estratégia do cliente (ou seja, o “dono” ou criador do site/blog); e, talvez um dos principais aspectos desse tipo de revisão, analisar as estratégias de SEO, a fim de melhorar o posicionamento do site, blog ou página da web nos resultados orgânicos das plataformas de pesquisa, como, por exemplo, o Google.

Trabalhos acadêmicos

Não é apenas no meio profissional que o processo de revisão é necessário. O revisor acadêmico também tem uma tarefa muito importante, pois além de fazer todas as correções ortográficas e gramaticais necessárias para a entrega um trabalho acadêmico de qualidade (seja para artigos científicos, teses, ensaios ou dissertações), ele também precisa garantir a formatação correta do texto de acordo com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Publicação de revistas, jornais e livros

Talvez um tanto semelhante à revisão acadêmica, as pessoas que revisam os textos que serão publicados em revistas, livros e jornais, bem como aquelas que trabalham em editoras de livros para revisar manuscritos, devem ter uma excelente atenção a detalhes, pois, diferentemente da internet (em que talvez seja até um pouco mais comum encontrar certos erros, principalmente em blogs com conteúdo mais “informal”), erros gramaticais e ortográficos são considerados muito graves, uma vez que estes tipos de materiais serão publicados em veículos de comunicação mais sérios. Por exemplo, você não acharia estranho encontrar um erro de gramática em um jornal ou um livro? E isso não quer dizer que o jornalista ou o escritor não possa cometer nenhum tipo de erro, mas, sim, que é o trabalho do revisor achar esses erros caso eles ocorram.

Com estes exemplos, conseguimos entender claramente o quão importante é a função do revisor na área da comunicação. Parabéns a todos os revisores que trabalham para melhorar e facilitar a nossa leitura dos textos! 

Escrito por: Juliana Gomes (Revisora na Spell Traduções)

Mulheres e o mercado de trabalho

No mês de março, celebramos o Dia das Mulheres. 

Muitas mulheres ainda não conseguem ser recompensadas e tratadas como os homens mesmo estando no século XXI. 

Por isso, é muito importante reforçamos alguns pontos básicos neste artigo:

É fato que a mulher sempre foi e ainda é vista como a principal responsável por sua casa (tarefas domésticas, cuidar do filho…) e mesmo trabalhando fora, ao chegar em casa, ela ainda assume os principais papéis e responsabilidades.

Também é fato que a presença da mulher no mercado está aumentando, se tornando mais forte, as mulheres vêm conquistando o seu reconhecimento, mas ainda temos um longo caminho pela frente.

Segundo dados da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) 2019, a população brasileira é composta por 51,8% de mulheres. A imagem abaixo mostra, em números, as diferenças que ainda enfrentamos quando o assunto é mercado e carga de trabalho:

A pandemia ainda contribuiu para diminuir o número de mulheres inseridas no mercado de trabalho, isso porque as áreas em que a presença da mulher era mais forte foram as mais afetadas e porque, como já mencionado anteriormente, a responsabilidade pelos filhos e pela casa ainda é maior para as mulheres.

Trazendo esses fatos para o mercado da tradução, apenas 28,7% dos livros traduzidos para o inglês, desde 2008, foram escritos por mulheres. Nas últimas duas décadas, apenas três mulheres ganharam o PEN Translation Prize, uma premiação americana anual que avalia as traduções literárias feitas para o inglês. Podemos então pensar que o mercado de tradução não é dominado por mulheres, não é mesmo? Errado! Não há números exatos, mas mais da metade das pessoas que atuam na área de tradução são mulheres, sejam tradutoras, gerentes de projetos, terminologistas…

As mulheres têm características que são perfeitas para a área da tradução: se adaptam facilmente (conseguindo traduzir áreas distintas); são boas em trabalhar em equipe; têm habilidades comunicativas que criam uma boa ponte entre elas e as gerentes de projeto; têm facilidade de gerenciar mais de uma coisa ao mesmo tempo.

Já o trabalho de tradutora freelancer oferece a flexibilidade necessária para as mulheres que precisam executar outras atividades, e o pagamento no valor da palavra é feito com base em qualidade e performance, não há distinção de gênero.

Apesar de ainda brigarmos por equidade em algumas frentes, o mercado de tradução tem evoluído e oferecido um cenário mais justo para as mulheres. Assim como deveria acontecer em todas as outras áreas, a cobrança e a remuneração são baseadas no resultado do trabalho entregue.

Por ainda enfrentarmos um cenário de desigualdade e discriminação, a luta é necessária, é importante mostrarmos os números, e não é apenas das mulheres, a conscientização precisa acontecer com a sociedade no geral.

Desafios para quem está começando no mercado de tradução

Todos sabemos que ingressar no mercado de trabalho, independente da área de atuação, pode ser bastante desafiador. São inúmeros os obstáculos que podemos enfrentar, como a falta de experiência, a procura pelo primeiro emprego e, até mesmo, a insegurança com relação ao seu conhecimento.

Falando especificamente sobre o mercado de tradução, iremos trazer no decorrer deste artigo, algumas das principais dificuldades que o profissional pode encontrar ao ingressar nesta área.

A falta de experiência, com certeza, é um dos principais desafios para quem está começando. Muitas vezes, mesmo fazendo uma faculdade com esta formação, a prática nos projetos de traduções é muito pequena e isso acaba gerando muita insegurança para a pessoa e, infelizmente, muitas vezes, trazendo muitas recusas de trabalho por parte do cliente final.

 A prática como exercício

Para quem deseja entrar neste mercado, o ideal é ter em mente que a prática irá ajudar muito em vários sentidos, como, por exemplo, trazendo maior segurança, trazendo mais conhecimento nas áreas que a pessoa poderá traduzir, melhorando a produção e, consequentemente, trazendo maior retorno financeiro.

Com certeza quem está lendo este artigo e passando por isso deve estar se perguntando: sim, mas o que podemos fazer para sanar estas questões?

 Trabalho voluntário

Uma ótima dica é se inscrever para fazer trabalho voluntário, por exemplo. Muitas ONGs ao redor do mundo precisam muito do nosso trabalho. Mas, é importante reforçar aqui, que o fato de ter pouca experiência não significa que iremos usar as ONGs para entregar trabalhos com baixa qualidade. O trabalho desenvolvido por estas instituições é seríssimo e exige da gente, assim como qualquer outro cliente, muita responsabilidade e comprometimento.

Além das ONGs, uma possível alternativa é contar para amigos e estudantes que você está trabalhando nesta área e ajudar com a tradução de artigos acadêmicos, teses e pesquisas.

Além da falta de experiência, podemos citar também a falta de conhecimento do mercado. Quais são os valores praticados, as possíveis funções que posso desempenhar dentro deste mercado, quais são as ferramentas mais utilizadas, entre outros fatores que podem fazer toda a diferença para quem está entrando no mercado e está se sentindo totalmente despreparado para isso.

Aqui, a dica é estudar e procurar formas de adquirir e aprofundar sempre o seu conhecimento. Isso com certeza fará toda a diferença para você vencer os obstáculos de início de carreira.

Imersão no idioma

Outro desafio que podemos considerar é com relação ao conhecimento dos idiomas que você irá trabalhar. Estes serão, sem sombra de dúvidas, as suas maiores ferramentas de trabalho e, por isso, você precisa ter um conhecimento abrangente nos idiomas escolhidos. É muito importante saber sobre a cultura dos países dos idiomas em questão, conhecer a gramática e ter muita fluência para conseguir entregar trabalhos com qualidade e com naturalidade no idioma de chegada. Pensando nisso, a dica é também se aprofundar e estudar sempre. Aceite os feedbacks enviados pelos seus clientes, analise os erros cometidos e trabalhe para não errar nesses pontos novamente nos trabalhos futuros.

Assim como em qualquer carreira, o nosso desenvolvimento profissional está totalmente relacionado à nossa dedicação e ao sentimento de realização.