Posts

Os erros de tradução mais engraçados da internet

TRANSLATION FAILS

O inglês é um idioma universal e, consequentemente, é a forma que conseguimos nos comunicar com outras pessoas que não falam nossa própria língua. Por isso, ao viajar para outros países ao redor do mundo cuja língua materna não é o inglês, você poderá notar que a grande maioria dos cardápios em restaurantes, as placas das cidades, os avisos em lugares públicos etc. contam com uma legenda ou explicação em inglês justamente para que os turistas consigam entender melhor as informações.

No entanto, mesmo sendo um idioma tão popular, é muito comum ver erros de tradução nessas legendas, o que é geralmente provocado por traduções automáticas e, é claro, pela falta de um tradutor ou revisor profissional. E como a internet é um lugar que não perdoa, é possível encontrar várias “translation fails” ou erros de tradução, registradas para nos divertir, que incluem desde cardápios com pratos que não fazem nenhum sentido, textos traduzidos ao pé da letra e erros causados pelo corretor ortográfico.

Confira abaixo os erros de tradução mais engraçados da internet!

  1. A mina de queijo

Imagina encontrar uma mina que, em vez de ouro, contém queijos? Essa deve ter sido a vontade da pessoa encarregada pela descrição das comidas desse hotel!

Essa tradução literal de “queijo Minas” fez com que o significado fosse completamente alterado, pois o responsável por ela levou a palavra “Minas” ao pé da letra e, ao invés de pensar em Minas como o estado de Minas Gerais, ele traduziu como “mine”, que significa “mina” (como uma mina de ouro). No caso, a tradução correta deveria ser simplesmente “Minas cheese”, já que o queijo vem de lá, e o nome do estado não pode ser traduzido. Portanto, os hóspedes internacionais do hotel devem ter pensado que serviriam uma quantidade enorme de queijos no café da manhã!

  1. Vai um suco da manga da roupa?

Os erros de traduções literais são muito comuns, e a maioria acaba sendo muito engraçado ou, então, muito constrangedor. Nesse caso, o “tradutor” provavelmente ficou com um pouquinho de preguiça de pesquisar outras traduções para “manga” e escolheu a primeira que apareceu na frente: sleeve, que, sim, significa manga… mas a manga da roupa. A tradução correta deveria ter sido “mango juice”, mas vai que o chef quis inovar com um delicioso sleeve juice?

  1. O que você tem contra a carne brasileira?

Outro caso de tradução literal bem errada, mas muito engraçada! É comum ter mais dificuldade para traduzir os cortes das carnes, já que as opções são muitas e seus nomes em inglês são bem diferentes dos nossos. Mas, nesse caso, a tradução foi feita tão ao pé da letra que o “contra” em contrafilé foi traduzido apenas como “against”, que é usado para expressar quando uma pessoa é contra algo/alguém (do verbo “contrariar”). Dessa forma, parece que o restaurante é contra a carne brasileira, pois essa seria literalmente a tradução do tal “Against the Brazilian Beef”, como vemos no cardápio. A tradução correta do nome da carne deveria ser “striploin”.

  1. Os peixes internacionais

Traduções literais são mesmo tão comuns, que o responsável por esse cardápio provavelmente achou que deveria inovar um pouco, indo em uma direção muito diferente e inusitada. A palavra “fígado”, por exemplo, em “iscas de fígado à lisboeta”, de repente passou a ter outro significado: “imprevisto” ou “não programado” (tradução de “unscheduled”). Já os outros pratos deram um ar sofisticado e internacional ao cardápio, já que cada um parece ter vindo de um país diferente: um é americano, o outro é espanhol e um veio de Lisboa. E eles servem até o idioma americano (não só o inglês, mas o inglês americano) no restaurante… que chique!

  1. Um pão gripado na chapa, por favor!

Diferentemente da tradução literal que acaba sendo muito engraçada, essa talvez possa ter sido um pouco constrangedora para os estrangeiros que visitaram essa padaria. Afinal, quem gostaria de pedir um lanche que parece estar resfriado, não é mesmo?

O que chamamos no Brasil de “frios”, que podem incluir queijo, presunto, peito de peru e outros tipos de carnes pré-cozidas, em inglês, chama-se “cold cuts” (ou, então, “cold meats”, “luncheon meats”, “deli meats” etc.). Ao se referir aos frios apenas como “cold”, entende-se que o pão tem uma cold – por exemplo, quando alguém está gripado, você pode dizer “he has a cold” ou “person with a cold”. Ou seja, parece que estão dizendo que servem pães com gripe!

  1. A porta é automática, Manuel!

Nesse caso, a frase acima, traduzida para o português, deveria ser: “Portas automáticas! Não tente abrir ou fechar as portas manualmente”. No entanto, é possível que o polêmico corretor ortográfico, já conhecido na internet por causar algumas gafes bastante engraçadas, tenha alterado a palavra “manually” (a tradução correta de “manualmente” em inglês) para “Manuel”. Dessa forma, o aviso no elevador parece estar sendo direcionado especificamente para alguém chamado Manuel!

  1. Coitada da praia…

Esse é um clássico exemplo de erro de tradução que pode ou gerar muitas risadas ou causar um certo constrangimento. Isso porque, foneticamente, as palavras bitch e beach são pronunciadas de forma bastante semelhante, o que pode confundir um pouco quem não tem um domínio da língua inglesa. A diferença é que o significado de beach é totalmente inofensivo (“praia”), e já o significado de bitch pode ser considerado um pouco pejorativo e ofensivo, principalmente quando se refere a uma mulher. Portanto, o aviso deveria ser: “Everyone loves a clean beach! Please do not litter”.

  1. O Peru europeu

Esse erro de tradução, apesar de um pouco grave (principalmente ao levar em consideração que foi publicado por um dos principais jornais brasileiros), acabou viralizando na internet entre os seus leitores e internautas por se tratar de uma gafe de tradução literal bastante engraçada.

Em 2015, ao abordar a crise dos imigrantes que tentavam chegar à Europa, o jornal Estado de S. Paulo, mais conhecido como Estadão, acidentalmente trocou o Peru pela Turquia no mapa. Isso se deve ao fato de que Turquia, em inglês, é “Turkey” – e, traduzido para o português de maneira literal, significa “peru” (não o país, mas o animal). O jornal, é claro, se explicou e retificou o erro cometido, mas não antes de ser “alvo” de muitas brincadeiras e chacota pelos internautas.

Estes são apenas alguns exemplos que reforçam a importância de um trabalho de tradução e revisão profissionais que possam garantir o sentido correto e uma boa qualidade para o leitor ou público final.

E você? Já viu alguma tradução engraçada ou constrangedora como nos exemplos deste artigo?

Artigo escrito por Juliana Gomes (Tradutora e Revisora na Spell Traduções)