Traduções de músicas e filmes infantis

Tradução de músicas

Seja em livros, filmes ou seriados, é comum encontrar traduções de títulos, músicas ou até mesmo das falas dos personagens que parecem muito diferentes do conteúdo original. Para o ouvinte, leitor e/ou espectador que não conhece o processo de tradução, principalmente a tradução que envolve conteúdo criativo, como é o caso da indústria do entretenimento, muitas coisas podem soar bastante estranhas quando traduzidas. No entanto, poucos sabem que, para fazer esse tipo de tradução, o profissional da área deve adaptar o conteúdo levando em consideração diversos aspectos.

Por exemplo, ao traduzir uma música em um filme, não basta apenas fazer a tradução exata da letra ou só incluir rimas. O tradutor precisa, acima de tudo, manter o tempo correto e a mesma melodia da canção original, ao mesmo tempo em que mantém cada frase que o dublador canta compatível com o movimento da boca do personagem.

Ou seja, nesses casos, uma tradução “ao pé da letra” não só faria com que a letra da música perdesse a criatividade (e, muitas vezes, o humor) da canção original, como também deixaria de fazer sentido para o espectador que não entende o idioma original da música, uma vez que a tradução não estaria adaptada especificamente para a cultura desse espectador.

Por isso, com o objetivo de comemorar o Dia das Crianças, que está por vir, com diversão e muita informação, resolvemos separar alguns exemplos interessantes sobre como funciona o processo de tradução dessa área do entretenimento que todos nós amamos.

Hakuna Matata (O Rei Leão)

Quem não conhece essa música divertida, cantada por Timão e Pumba, dois dos personagens mais engraçados de um dos filmes mais consagrados da Disney, O Rei Leão?

Esse clássico é um ótimo exemplo a ser usado aqui. Poucas pessoas sabem, mas a versão de “Hakuna Matata” foi atualizada há pouco tempo, com uma pequena e simples alteração. Antigamente, a letra dizia:

“Hakuna Matata

É o nosso lema

Lema? O que é isso?

Nada, não confunda com lesma!”

Na versão atual, esse trecho foi alterado da seguinte forma:

“Hakuna Matata

É o nosso bordão

O que é isso? Botão?

Bordão! Não confunda com botão!”

Para muitos, essa alteração pode parecer desnecessária, mas, na verdade, foi uma forma de adaptar o linguajar para os dias atuais, já que “bordão” não é mais uma palavra tão utilizada e é possível que crianças não saibam o seu significado.

Além disso, usando essa mesma canção como referência, podemos ver o quão importante é a adaptação do conteúdo para o nosso idioma. Por exemplo, esse é o início da letra de Hakuna Matata:

“Hakuna Matata

What a wonderful phrase

Hakuna Matata

Ain’t no passing craze

It means no worries for the rest of your days

It’s our problem-free philosophy

Hakuna Matata”

Se traduzirmos de uma forma mais literal para seguir o conteúdo original, a canção ficaria dessa forma:

“Hakuna Matata

Que frase maravilhosa

Hakuna Matata

Não é uma moda passageira

Significa não ter preocupações pelo resto de seus dias

É a nossa filosofia de não ter problemas

Hakuna Matata”

Pode-se notar que, além de perder o sentido, a fluência e as rimas da letra, a melodia não fica compatível com o tempo em que os personagens estão fazendo o movimento com a boca para cantar. Além disso, as frases ficam longas demais, atrasando o tempo da sequência do filme e dificultando a leitura das legendas.

Let It Go (Frozen)

A música principal do filme que se tornou um clássico imediato da Disney, “Let It Go” (ou “Livre Estou”), também exibe de uma forma muito clara como o processo de adaptação na tradução é importante.

Na letra original, Elsa canta:

“Let it go, let it go

Can’t hold it back anymore

Let it go, let it go

Turn away and slam the door”

Em uma tradução “ao pé da letra” em português, a princesa cantaria da seguinte forma:

“Deixe para lá, deixe para lá

Não aguento mais

Deixe para lá, deixe para lá

Afasto-me e fecho a porta”

A canção ficaria estranha dessa forma, não é mesmo? Por isso, há uma adaptação para que faça mais sentido dentro do contexto do filme e para que cada verso fique de acordo com a melodia e o tempo corretos da música original. Com isso, a canção foi traduzida para o português da seguinte maneira:

“Livre estou, livre estou

Não posso mais segurar

Livre estou, livre estou

Eu saí pra não voltar”

Títulos de filmes e livros

Outro ótimo exemplo de adaptação, e um que parece gerar ainda mais polêmica, é o processo de tradução de títulos, sejam eles de livros ou de filmes. Há tanto os casos em que o nome do filme/livro, em português, é totalmente diferente do nome em inglês, quanto casos em que é adicionado um “subtítulo”.

Por exemplo, o título original do filme “O Pequeno Stuart Little” é somente “Stuart Little”. Então, por que haveria necessidade de mudanças ou adições ao nome? O mesmo ocorre com diversos outros filmes, como “Moana – Um Mar de Aventuras”, “Up – Altas Aventuras” e, como no nosso exemplo acima, “Frozen – Uma Aventura Congelante”.

Essas são “alterações” que também podem parecer desnecessárias para quem não sabe como esse processo funciona. No entanto, os títulos são geralmente modificados para que haja maior identificação entre a obra, seja ela um livro ou filme, e o público que vai consumir o conteúdo. Com um título somente em inglês, destinado a um público brasileiro que, em grande parte, não fala o idioma, não há essa identificação e conexão entre a obra e o consumidor. Por isso, existem esses “subtítulos” quando o nome do filme e/ou livro permanece em inglês na versão traduzida.

Já quanto aos títulos que parecem ter sido modificados completamente, a mesma “regra” se aplica: deve haver essa mesma identificação e conexão com o público, e como cada país possui suas próprias gírias, culturas, expressões idiomáticas etc., os títulos são adaptados de acordo com esse dinamismo da linguagem e com base no que atrairá os consumidores.

No entanto, vale ressaltar que não são necessariamente os tradutores que fazem as adaptações dos títulos de filmes e livros e, sim, o time de marketing da editora, emissora etc., que, muitas vezes, recria os nomes para obter mais apelo comercial.

Confira abaixo alguns dos filmes e livros infantis com títulos completamente diferentes e faça uma comparação divertida entre os nomes originais, os nomes traduzidos e como eles seriam se tivessem sido traduzidos “ao pé da letra”!

Título original: Harry Potter and the Half-Blood Prince

Título no Brasil: Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Como seria na tradução literal: Harry Potter e o Príncipe Mestiço

Título original: Despicable Me

Título no Brasil: Meu Malvado Favorito

Como seria na tradução literal: Eu desprezível

Título original: Inside Out

Título no Brasil: Divertida Mente

Como seria na tradução literal: Do Avesso (ou De Dentro para Fora)

Título original: Home Alone

Título no Brasil: Esqueceram de Mim

Como seria na tradução literal: Sozinho em Casa

Título original: Cloudy with a Chance of Meatballs

Título no Brasil: Tá Chovendo Hambúrguer

Como seria na tradução literal: Nublado com Chance de Chover Almôndegas

Escrito por: Juliana Gomes (Tradutora e Revisora na Spell Traduções)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

twenty nine + = thirty six